((º·.¸(¨*·.¸*Pumpkin Juice* ¸.·*¨)¸.·º ))


*O Caçador de pipas*

 

 

Sabe aqueles livros que você começa a ler e não consegue mais parar, enquanto não termina?

 

O Caçador de Pipas é assim. Como sempre, comprei porque estava na lista de mais vendidos, mas nem sabia do que se tratava...  Comprei e deixei na fila de espera.

 

Finalmente terminei as Crônicas de Nárnia (aviso: se você pretende ler o livro, pule esse parágrafo!!!), fiquei decepcionadíssima com o final. Amei todos os 7 volumes, e sei que não poderia haver outro final que não aquele, mas como assim, Nárnia é destruída? Como assim todo mundo morre e vai para o Paraíso, que nada mais é do que o espelho da própria Nárnia? Como assim? E eu, que tinha tanta esperança de um dia olhar um quadro e ser transportada para Cair Paravel, ou então tomar uma pílula, e diferente de Matrix, mergulhar no mundo utópico narniano, ou quem sabe, entrar no meu guarda roupa e encontrar o Sr. Tumnus lá dentro? Eu tenho síndrome de fadinha, de Peter Pan ou como queiram chamar... fazer o que?

 

Mas enfim... Nárnia terminou e eu peguei o Caçador. A Milena já tinha lido e me avisado que era um enredo forte, especialmente pra quem é mãe (assim como o Antonio também comentou aqui no blog), mas eu jamais esperava uma história como essa.

 

Não se iluda com o nome inocente. O livro narra a história entre dois amigos, Amir e Hassan, e tem como pano de fundo a realidade afegã pré-soviéticos e pós-talibã, dividindo aquela terra em paraíso e apocalipse... A narrativa de alguém que viu a terra onde nasceu e cresceu, as árvores e ruas de sua infância, virarem um lugar desconhecido, cheio de ruína, escombros, sujeira e pobreza... A hipocrisia talibã que assassina em nome de Deus, mas que comete atrocidades nas suas costas... A infância roubada das crianças, a alma sugada de dentro delas, a falta de brilho nos seus olhos que denuncia que a vida ali nem existe mais...

 

Sinceramente, nunca li um livro como esse. Marcou uma época, a história literária e a mim. É inesquecível e merece ser lido. Sempre.

 

Apesar do Caçador de Pipas ser uma leitura marcante, ainda estou frustrada com o livro anterior... Agora estou lendo “A Psicanálise dos Contos de Fadas”, que a Thais me deu de aniversário. Acertou em cheio!!! Quem sabe assim eu me recupero do baque das Crônicas de Nárnia... Coisa de quem sofre de Síndrome de Sininho...



Escrito por Endora* às 08h22
[ ]


*Luto*

 

 

Depois de 72 horas ininterruptas, várias tentativas infrutíferas de trocar de DVD, usando táticas como “ A Xuxa foi dormir, vamos ver o Pingu!”, ou “A Xuxa cansou, agora é a vez do Cocó!”, tive uma overdose de “Xuxa para baixinhos”.

 

Foi aí, depois que percebi que sei todas as músicas e coreografias dos 5 DVDs, que tomei uma decisão drástica:

 

-Mamãe!!! Põe Xixa?

-Não, Isa, a Xuxa morreu.

-A Xixa moieu?

-A Xuxa morreu.

-Papaaaaai! A Xixa moieu!!!!!

 

Pronto. Trágico. Mas a vida é assim. Agora estamos de luto. Na casa das avós tudo bem, a Xuxa ressuscita, como o Aslan das Crônicas de Nárnia. Mas aqui em casa ela foi sacrificada. Pela sanidade mental dos pais da Isadora... 



Escrito por Endora* às 16h37
[ ]


*Qual é a sua profissão?*

 

 

Outro dia tava preenchendo um formulário e, automaticamente, no item “profissão”, coloquei advogada. Daí fiquei pensando... tem profissão mais completa do que mãe? Sim, porque a mãe é obrigada a ser várias profissionais ao mesmo tempo... Olha só:

 

Administradora – basicamente é a responsável pelo planejamento e funcionamento da vida da criancinha. Advogada – defende a criancinha quando o pai fica bravo. Bibliotecária – conhece todos os livros que o pequeno tem, e indica o melhor para aquele momento. Bombeira – vive apagando o fogo da criancinha. Cabeleireira – arruma incansavelmente as madeixas do pimpolho. Ás vezes, até se arrisca a cortá-las. Compositora/Escritora – inventa músicas e histórias para distrair e entreter a criancinha. Decoradora – planeja e executa toda a decoração do quarto do bebê. Dentista – acompanha o nascimento dos dentinhos de leite, sua higiene e ajuda na extração quando os mesmos estão para cair... Diplomata – sempre está tentando apaziguar os ânimos e melhorar o relacionamento da criancinha com os irmãos ou amiguinhos. Economista – criança gasta. E muito. É preciso comentar? Enfermeira – passa a noite em claro, medindo a febre do pequeno paciente, administrando remédio e velando o seu sono. Fotógrafa – em todos os momentos está munida de uma máquina fotográfica para registrar os momentos do filho. Jornalista – publica pra todo mundo as façanhas do seu pimpolho. Juíza – julga os pequenos delitos cometidos no dia a dia. Médica – diagnostica os mais comuns tipos de viroses, resfriados e afins. Nutricionista – prepara o cardápio, sempre atentando para a qualidade e sabor dos alimentos. Pedagoga – após a análise da psicóloga, tem como missão educar a criança da melhor maneira possível. Personal Dresser – é responsável por todo o guarda roupa do pequeno, compras de roupas bonitas e confortáveis e que combinem entre si, além de escolher a dedo qual a melhor roupa pra ocasião. Policial – está sempre vigiando os passos do suspeito. Professora – ensina cores, números, letras, noções de espaço e lateralidade. Promotora – acusa, sem dó nem piedade, quando o pequeno comete um delito. Psicóloga – analisa o comportamento e os sentimentos da criança, em cada fase de sua vida.

 

Lembrou de mais alguma? Então manda pra cá! 



Escrito por Endora* às 09h11
[ ]


*Os Maias?*

 

Estava eu vendo “Law and Order SVU”, e fiquei extremamente “apavorada” com o episódio. Uma mãe tem a filha seqüestrada, e dias depois encontra a menina, que diz não ser a sua filha. Investigando, descobre-se que a menina realmente não é a filha dela, mas pasmem, sua irmã. A mãe fez ICSI. O médico disse que ela teve apenas 2 embriões e os implantou nela. No entanto, a menina que ela encontrou na rua, confundindo-a com filha, é um dos embriões dela, que foi transferido para o útero de outra mulher, que não produzia óvulos. As investigações concluíram que ela teve 12 embriões! O médico usou esses embriões em tratamentos de diversos casais inférteis, e ela tinha nada mais, nada menos que mais 5 filhos espalhados pelo país!

 

Fiquei de boca aberta. Quando eu fui fazer a ICSI, tive que assinar um termo autorizando a doação ou não dos embriões que sobrassem, se em 2 anos não fossem utilizados.

 

Pensei, repensei... conversei com o Marido. O primeiro impulso foi autorizar a doação. Mas acontece que eu li e assisti Os Maias. Pra quem não conhece essa obra prima de Eça de Queiroz, é a história de 2 irmãos separados quando pequenos, e por causa disso, um não sabe da existência do outro. Eles se encontram, já adultos e se apaixonam, sem fazer a mínima idéia da relação de parentesco que possuem. A história é extremamente triste e trágica.

 

O mundo é uma ervilha. E se daqui 20 anos acontece uma releitura do livro, com a minha família? Optei então, em não autorizar a doação, mas combinamos que usaríamos os embriões a tempo, antes de serem destruídos. Daí comecei a estimulação à ovulação: 9 folículos, que resultaram em somente 2 embriões “de boa qualidade” e foram transferido pra minha barriga, e dos 2 ficou a Isa.

 

Nem preciso falar que, depois de acabar o seriado, eu já comecei a enfiar caraminholas na cabeça né? E se tinha mais embriõezinhos? E se usaram em outro casal? E se eu tenho outro bebezinho perdido por aí, e se....

 

Hum. Acho que vou parar de ler e assistir televisão... 

 

Palhacinho? Não. Dona Isadora achou que o corretivo fosse batom....

 

Na garupa do carrinho, com a Glenda...

 

ÊÊÊÊ!!!!!

 

Nova maneira de comer sancuíche...

 

O pão fica assim....

 

E o Mc Lanche Feliz vira Mc Lanche Picado...

 

Olha o charme da pinta!!!!



Escrito por Endora* às 16h08
[ ]


*CRIANÇAS CRISTAIS*

 

 

Ontem eu saí de um shopping aqui perto de casa, e num semáforo vi uma menina, de uns 18 anos, com um bebê no colo, uma sombrinha na mão por causa do sol, pedindo ajuda aos carros que passavam. Aquilo me cortou o coração. Fui pra casa, peguei uns pacotes de fralda, um pote de leite, outro de farinha láctea, papinhas, macarrão e voltei lá. Ela agradeceu muito e eu fui trabalhar.

 

No entanto, aquela mãezinha, mal saída da adolescência e já com a responsabilidade, mas não as condições, de criar um bebê sozinha não saía da minha cabeça. Voltei lá no fim da tarde  e ela estava no mesmo lugar, com a sacola que eu tinha dado ao lado. Parei e perguntei se a fralda tinha servido. Ela disse que tinha, já tinha até usado. Mandei que ela esperasse e corri até o supermercado. Levei mais 2 pacotões de fralda, um potão de lencinhos, sabonetes e shampoo infantis, e ainda arroz e frango assado com batatas.

 

-Olha, eu trouxe mais fraldas, e umas coisas pro bebê. Trouxe também comida pra vocês jantarem...

-Obrigada! Deus abençoe!

-Como você se chama?

-Jaqueline.

-E ele?

-Lucas.

-Quantos anos você tem?

-19.

-E ele?

-1 ano e 4 meses.

-Nossa, ele é bem grandão... minha filha tem 1 ano e 10 e ainda não usa esse tamanho de fralda...

-Ele come de tudo, graças a Deus...

-O pai dele não te ajuda não?

-Não. Ele sumiu, nunca mais vi.

-E você não trabalha?

-Não consigo porque não tem com quem deixar ele.

-Onde você mora?

-Perto do Campo Grande.

-E como você vai fazer pra levar tudo isso?

-Ah, eu levo de ônibus, ele pára ali...

-Então tá. Você tem dinheiro pro ônibus?

-Tenho sim.

 

E assim me despedi da Jaqueline com o Lucas dormindo no colo dela. Eu deveria ter entrado no carro feliz, com a missão cumprida de ter ajudado alguém, né? Não. Saí de lá arrasada. Cheguei na minha mãe e a Isa veio toda feliz me abraçar: “mamããããe chegô!!!”, e eu comecei a chorar.

 

Não gosto de ficar falando sobre esse lance de solidariedade, porque pra mim, quem gosta de tornar público quem ajuda e o que faz é hipócrita. Faz só pra mostrar pra todo mundo, e posar de bonzinho. Mas nesse caso é um desabafo. Aquilo que eu fiz parece tão pouco. Mais do que fraldas e leite, eles precisam de uma vida decente, com casa, comida, creche, emprego e dignidade... e me senti tão pequena, tão impotente....

 

Li sobre *CRIANÇAS CRISTAIS* que estão nascendo desde 2000 e tem a missão de mudar o mundo. Quero acreditar nisso. Quero acreditar que ainda há esperança. Quero acreditar que existe chance para o nosso mundo ser um lugar melhor pra se viver, e que as crianças, cristais ou não, possam ter a chance de crescer felizes, sendo apenas crianças....



Escrito por Endora* às 16h10
[ ]


*Direito do Consumidor*

 

Acho que vou no Procon saber quais são meus direitos, o produto veio com defeito. Voltagem 220V, sem botão mute ou desliga.

 

To lá eu, desarrumando mala (ô coisa chata), e Isa fuçando na minha mesinha de cabeceira. “Não é pra mexer aí!”, mas ela nem liga. Daqui a pouco, só ouço o barulho: “Crash!”. Ela vem correndo com a típica cara de “fiz merda”. Só não vi o meu lindo abajur, o que significava que ele estava espatifado no chão.

 

Aos berros de “Pepê e Títi”, levei a dona Isadora pro quarto e botei a menina sentada na poltrona. “Não é pra sair daí, e não tem pepê nem títi. Você está de castigo porque quebrou o abajur, tá contente? Agora vai ficar aí até a mamãe acabar de arrumar as coisas!”

 

“Nãããão!!!! Qué pepê e títi, mamãe.... Mamãezinhaaaa!!!!” E vem correndo atrás de mim. “Pode voltar!”, e coloco a anjinha de volta na poltrona. Como ela viu que comigo não teria jeito, começou a gritar: “Papaaaaai!!!! Papaizinhoooooo!!!”

 

Marido Antonio subiu, viu o estrago e falou: “Não, senhora. Fez arte, agora vai ficar aí.” 

 

Depois de uns 5 minutos peguei a Isa no colo e conversei com ela. E ela sabia porque estava ali. Tanto que agora ela aponta pra mesinha (já substituí o abajur) e fala: “Não mexe!”

 

Aliás, ela agora vem com cada uma... A história de ela gostar de matemática... Aprendeu a contar até 10. Verdade. Até ontem esquecia o 4 e o 9, mas agora conta todos. Tem vídeo pra provar.

 

Além disso, agora passa perfume, empina o bumbum, dá uma voltinha e fala: “To bonita!”. Eu posso com isso?

 

E ela participando das conversas então? To eu conversando com a minha mãe sobre o preço de alguma coisa e ela põe a mãozinha no rosto e fala: “Nooooossa!” Pois é, um absurdo! O preço também, mas a Isadora achar que tem noções de matemática financeira já é um pouquinho demais....

 

Sem falar que agora está perdidamente apaixonada pela Xuxa. Ama de paixão a coleção Só para Baixinhos. Pula, dança, ri, e não sai da frente da TV. E agora todo dia é dia de ver a “Xixa”. Compramos todos, pra poder variar, mas o fato é que a gente já sabe todas as músicas de trás pra frente (hoje peguei Marido cantando "haha, hihi, eu não consigo parar de rir...") e não agüenta mais... Arrisco que são até educativos, ensinam números, cores, muitas músicas são traduções das usadas no programa do Barney, mas ouça direto todos os dias. Sem intervalo, até  o DVD gastar. Não há santo que suporte.

 

Criei vergonha na cara e finalmente atualizei o *Fotoblog* Também já editei os vídeos, e tem várias playlists, por assunto (Pumpkin Juice é a completa). Pra ver todas, clique nesse link: http://www.youtube.com/profile_play_list?user=endoradance . Os últimos, da viagem estão aí embaixo...

  



Escrito por Endora* às 19h29
[ ]


*De volta!*

 

Fomos pra Caraguatatuba, e tivemos várias lições e descobertas com a viagem: Pobre é uma desgraça. Quando vai pra praia ou chove ou faz frio. Se está frio, na beira do mar é pior. Parati é longe pra cacete. E não vale o esforço. São Sebastião é uma delícia. Nem sempre porque está nublado em Caraguá está igual em Ubatuba. Ou vice-versa. Quer ver a Isadora feliz? Deixa a menina num buraco na areia, cheio de água, com um monte de brinquedos. Lei de Murphy: volta de viagem, criancinha irritada, porta malas cheio, todo mundo cansado e fura o pneu. Isadora ama matemática (depois explico...). Isa finalmente descobriu as delícias da praia!!!! Preconceito é coisa de adulto estúpido!  Na praia, tanto a Isadora como as demais crianças, todas estavam brincando com uma garotinha de uns 7 anos, portadora de Síndrome de Down. E elas estavam se divertindo muito, e nem repararam que a menina era “diferente”. Por isso, repito: essa coisa de discriminar crianças especiais é coisa de adulto imbecil!

 

Algumas fotos, tem mais, mas ficaram na máquina do Marcelo e estou esperando ele me enviar (viu, Marcelo????).... Também tem vídeos, ma ainda estou fazendo os uploads...

 

Isa dia 07 de setembro...

 

E eu, grávida dela, no mesmo lugar, há exatamente 2 anos atrás!

 

Não é Arraial do Cabo, mas dá pro gasto...

 

Isa com mamãe e tio Claudinho... Notem o modelito do biquini, de cortininha!

 

Vendo o mar, com o papaizinho...

 

De boné, no colinho da mamãe...

 

Única foto de Parati que tivemos coragem de tirar...

 

Martin de Sá, em Caraguá

 

Quer ver o cúmulo da frescura?

 

Sim, é um cartão de visitas....



Escrito por Endora* às 12h36
[ ]


*Shhhhh!!!!*

 

 

Por que quando a gente tem filhos todo mundo é PHD no assunto e se sente no direito de dar palpite?

 

Quando eu digo todo mundo, é todo mundo mesmo. A mãe, a sogra, a vizinha, a cliente da manicure, que você nunca viu mais gorda, a caixa do supermercado...

 

E os palpites são os mais variados... Nos primeiros meses o bebê chora? “É frio!”, diz uma. “É muita roupa!”, diz outra. “É cólica! Põe uma toalha quente na barriga dele...”. “Vai ver é refluxo...". E a outra comadre completa: "Eu conheço um caso de alergia ao leite...". E a mãe desesperada sai correndo pra comprar leite HA pro bebezinho, enrola o pobrezinho em toalhas quentes e ele simplesmente está com fome...

 

Agora não melhora muito. “Ah, você não deve colocar na escolinha de tarde, de manhã é melhor...”. “Ela está tão magrinha... Põe Nescau na mamadeira dela!”. “Ela é muito agitada pra dormir, você já levou no médico?”. “Não deixa ela andar descalça que pega friagem!”. "Por que você não experimenta dar leite de cabra pra ela?". “Mas não é perigoso ela brincar com o gato? Pode pegar asma, ou ele furar o olho dela...”

 

Às vezes eu respondo à altura, às vezes faço cara de paisagem. Mas o pensamento é um só: “Dá licença que a filha é minha e eu cuido como eu quero? Shhhhhhhhhhhh!!!!”

 

Como aqui está um sol de rachar, um calor insuportável, praticamente 40º à sombra, Marido Antonio resolveu que vamos descer amanhã pro litoral norte. Então tá. Notícias, fotos e vídeos, só na segunda...

 

Agora deixa eu ir arrumar a mala com roupas típicas de praia: agasalhos, calças jeans, meias, blusas de lã.... Tá. Vou levar um biquíni pra mim e outro pra Isa. Só pra não ficar chato.

 

Bom feriado...

  

*EDIÇÃO DO POST: Imagine a cena: mãe e filha no corredor de um shopping imenso. A mãe carregando meia dúzia de sacolas em uma mão e com a outra tentando segurar a filhinha. No meio do shopping a criancinha resolve que quer ir no colo da mãe, e começa a berrar: "CÓINHO MAMÃE!!!". A mãe tenta explicar que não dá e a doce criaturinha simplesmente se joga no meio do corredor. A mãe fala que vai embora. E vai. Só que se esconde na esquina e fica olhando a reação da filha. A linda-doce-simpática menininha fica lá, deitada no chão, como se estivesse na cama. Para de chorar e passa a falar oi pra todo mundo que passa, como se ficar esborrachada no meio do shopping fosse a coisa mais natural do mundo... A mãe perplexa, pega a filhinha pelo braço e durante todo o corredor que parece que não tem fim, anda com o anjinho, ora berrando, ora tentando escalar a mãe, ora tentando se jogar no chão. Finalmente a porta do paraíso: a saída!!!! As personagens dessa historinha? Ganha um doce quem adivinhar...  

 

*BÔNUS DE FERIADO: Tá, como eu sou boazinha, vou colocar os vídeos da Isa que eu já tenho... Do lado direito tem o menu de vídeos.... são 15 no total (não, não tem, nenhum da Isa se jogando no chão do shopping...). Na segunda coloco mais... . Paciência que demora um pouquinho pra carregar..

 



Escrito por Endora* às 08h56
[ ]


*Descobertas*

 

Apesar da fase insuportável, que no livro diz que vai até no máximo, os 3 anos, a Isa também está numa fase maravilhosa de descobertas.... e eu fico embasbacada!

 

Algumas pérolas:

 

1- Estávamos no consultório da pediatra, quando entra um casal. Ela olha bem pro moço e fala: "Papai!!!". Imagine o quão sem graça eu fiquei... mas aí, observei bem o moço e esclareci: "Você trabalha na mesma firma do pai dela". Ela reconheceu pelo logo na camiseta dele...

 

2- Passamos na frente de uma concessionária Peugeot. Na hora ela falou: "Carro do vovô!!!". O meu sogro tem um Peugeot 206!!!

 

3- Fui comprar chinelos no supermercado... Olhei, olhei e peguei um par de havaianas. Isa vira e fala: "Peto, mamãe!". A cor que eu tinha escolhido!!!

 

4- Ela ganhou um livro de figuras da Dri, que ama de paixão. Além de figuras tem letras e números. Quando ela viu o X, gritou: "A Xixa!"

 

5- Virando a esquina de casa, ela já grita: "Segô!!!". Virando a esquina da casa do meu sogro, ela desanda a falar: "Caja Maiia"!

 

Parece bobagem, mas eu fico tão boba com essas pequenas associações que ela faz, que pra mim ela merecia um Nobel. Não que eu ache que ela é (ou queira que ela seja) super dotada, sei que isso é normal da idade, mas pra mãe babona que eu sou, acho o máximo...

 

Tá. A única coisa que não tivemos progresso ainda foi com relação ao penico. Também nem to ligando muito, e vocês sabem porque, né? (eita egoísmo de mãe...). A tal privadinha fica no banheiro, e eu falo: "xixi mamãe", sento no vaso e aponto o peniquinho: "xixi nenê". Ela ri, senta (de roupa e tudo) e fala que está fazendo xixi. Se é verdade eu ainda não descobri... O fato é que ele tem muitas utilidades: banco, trampolim, escada... só não serviu ainda ao seu propósito original...

 

Mas tenho que falar na simpatia que Isadora é. No banco sai cumprimentando todo mundo, do caixa ao gerente, passando pela fila toda... Ontem fui aplicar uma vacina no meu carro (pois é, isso existe!), e fui esperar numa salinha, com ela. Entramos e ela no mesmo instante fez amizade com o casal que estava lá, mostrando o fedido (ó títi!), a chupeta (e a pepê), a bexiga da Sininho (bissiga siinho), contando do sapatinho, da pulseira de borboleta (boboeia!)....

 

Quem vê não fala que é a mesma criancinha das fotos do último post...

 

Por falar em fotos...

 

Conhecendo o bosque...

 

Apontando todos os bichinhos (patinho, maaco, lião, tigui, caba, e por aí vai...)

 

Pausa pra uma aguinha, que ninguém é de ferro

 

Assoprando a velinha no aniversário da mamãe...

 

E cortando o bolo!!!



Escrito por Endora* às 15h52
[ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog